Fale com a ABPM (11) 98313-2324

ABPM ONLINE – Boletim Informativo ABPM 708

Nº 708 - OUTUBRO DE 2020

LIVE ABPM SOBRE O QUALITRAT

No dia 27 de outubro, aconteceu mais uma LIVE da ABPM aos associados, dessa vez a respeito da importância do Programa Qualitrat e suas novas categorias Ouro, Prata e Bronze.

A reunião online novamente contou com uma grande participação dos associados, que puderam assistir a palestra da Celina Almeida do Instituto Totum. Ela abordou o Programa de Autorregulação do Qualitrat, o qual atesta a qualidade de processos de usinas de preservação de madeira filiadas à ABPM, entre eles os aspectos legais, gestão de qualidade nos processos, gestão ambiental, regularidade social, trabalhista, gestão de saúde e segurança, ética, e responsabilidade social. Celina também falou sobre as diferenças das categorias do Qualitrat, e as exigências necessárias para aderir ao programa.

Na sequência, o diretor comercial da Jota Editora, Fábio Machado, e responsável pela Assessoria de Comunicação da ABPM através da Dash7 Comunicação, apresentou as possibilidades de marketing para as usinas que já aderiram e vão aderir o selo Qualitrat. Ele destacou a importância das empresas do setor em valorizar a marca madeira tratada, e se diferenciar com investimento em qualidade, credibilidade e visibilidade.

A direção da ABPM agradece a participação dos associados.

PRESERVAÇÃO DE MADEIRA É TEMA DE EVENTO ONLINE

Em parceria com a Malinovski e apoio institucional da ABPM, Flavio Geraldo apresentou o curso “Preservação de Madeiras”, via plataforma ZOOM, onde foram abordados vários temas voltados a madeira.

Recentemente, entre 6 a 8 de outubro, através da plataforma ZOOM, foi realizado o primeiro curso online abordando diretamente a área de preservação de madeira. O evento foi realizado pela Malinovski, em parceria com Flavio Geraldo e contou com a participação de 21 inscritos, com representantes da academia, com três Universidades Federais, além de representantes da indústria química e usinas de preservação de madeiras, cabendo destaque à significativa participação de representantes da indústria madeireira. “A interatividade com os participantes foi surpreendentemente e as avaliações foram muito positivas, sugerindo a necessidade da realização de um próximo curso em breve”, afirma Flavio Geraldo. Confira, a seguir, a entrevista completa.

Com o advento da pandemia, estas práticas de cursos e palestras virtuais devem ser tendências que vieram para ficar? Ou acredita que depois de passar a pandemia, estas práticas onlines devem sair de moda?

Sem qualquer sombra de dúvida essas práticas vieram para ficar.

As plataformas existentes permitem a otimização dos custos da realização, para não mencionar as reduções de custos para os participantes , especialmente no tocante à locomoção, hospedagem e alimentação.

Tudo isto, sem o menor prejuízo nos conteúdos de qualquer curso ou palestra, apoiados, logicamente, por recursos de mídia dos mais avançados.

Engana-se quem pensa que os velhos métodos irão permanecer depois dessa fase da pandemia, os trabalhos remotos vieram para ficar e de modo muito eficaz.

Que seja bem-vindo o Novo Normal!

O mercado vai estar preparado para realizar consultorias online à partir de agora?

O mercado sempre esteve preparado para consultorias online, só não havia a percepção de que diante de um surpreendente aumento da demanda online não haveria prejuízo do atendimento.

Sem dúvida , houve a necessidade de uma aceleração relacionada aos conhecimentos de alguns recursos de informática, ou mesmo aquisição de equipamentos mais avançados que pudessem suportar maiores demandas.

No entanto, como já mencionado, entramos em um caminho sem volta, à exceção de trabalhos de campo ou laboratoriais, os trabalhos de gabinete serão, na sua maioria, realizados predominantemente online. Ocorrerá uma drástica redução das longas reuniões presenciais , às vezes com muitos participantes, exigindo viagens, hospedagens e até aluguel de salas, com aparatos para coffee break, lanches e até almoços.

O que esperar para o mercado de madeira tratada ainda este ano?

Ainda neste ano não creio em grande alterações do cenário. Importante mencionar que no início das movimentações relacionadas à pandemia, em especial quanto às limitações de transportes, o setor pode ter apresentado uma discreta retração, porém, não vejo que o volume médio anual desse segmento vai ser comprometido até o final de dezembro próximo.

Na sua opinião, é possível absorver um conteúdo online no mesmo nível que o presencial?

Se compararmos o treinamento online com o presencial, as questões chaves para que o conteúdo seja absorvido não muda.

A absorção do conteúdo estará sempre dependente da capacitação do instrutor, considerando o conhecimento, a qualidade do material didático utilizado, a capacidade de transmissão e empatia com os participantes.

O único provável prejuízo que eu vejo é em relação à falta da interatividade pessoal entre o responsável pelo treinamento e os participantes, assim como entre os próprios participantes.

TECNOLOGIA SUSTENTÁVEL

O município de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), recebeu a construção do primeiro prédio com tecnologia sustentável wood frame do Brasil. A iniciativa, da empresa Tecverde, abre novos horizontes para o setor de construção civil brasileiro, que ainda é majoritariamente usuário do concreto e de outros materiais não-renováveis.

A montagem do prédio de três pavimentos em wood frame durou 64h (horas), com jornadas de 8h de trabalho diárias no município paranaense. Em parceria com a CRM Construtora, mais de 200 profissionais participaram da iniciativa.

“Esta foi a primeira vez que aplicamos o nosso sistema construtivo em duas torres de edifícios residenciais do programa Minha Casa Minha Vida. Porém, não é um programa experimental, fora do país já existem prédios em wood frame, construídos há muitos anos. Esta é a forma mais moderna que existe para se construir no mundo, com tecnologia de ponta, agilidade e economia. É o que nosso país precisa para sair da crise imobiliária e estamos orgulhosos de proporcionar isso ao Brasil”, comemora Caio Bonatto, sócio-fundador e CEO da Tecverde, empresa premiada internacionalmente pela inovação na construção civil.

Com base em tendências mundiais aplicadas em sistemas construtivos que alinham inovação tecnológica e sustentabilidade, a tecnologia wood frame aplicada para edificações é o resultado de três anos de pesquisa. “Este é um projeto de grande impacto desenvolvido nos dois últimos anos em conjunto com instituições nacionais e internacionais, como o Instituto Falcão Bauer, IPT no Brasil e FPI Innovation e BCIT do Canadá”, explica Pedro Moreira, diretor de engenharia da Tecverde.

A tecnologia utilizada em edifícios multifamiliares com até quatro pavimentos desenvolvida pela Tecverde segue os padrões internacionais e atende às normas brasileiras quanto ao desempenho estrutural, incêndio, impermeabilização e conforto termoacústico. O sistema apresenta performance e durabilidade iguais ou superiores aos sistemas convencionais, tendo durabilidade superior a 50 anos sem grandes manutenções. A tecnologia Tecverde para casas e sobrados já é financiada desde 2012 pela Caixa Econômica Federal e outros bancos.

WOOD FRAME

Trazido ao país em 2009 após ser tropicalizada para os padrões brasileiros de construção pela empresa paranaense Tecverde, o sistema construtivo é aprovado pelo Ministério das Cidades e premiado internacionalmente por estar mudando a forma de construir no país, para uma forma mais eficiente e sustentável.

Após mais de 85 mil m² construídos, de casas do Minha Casa Minha Vida a casas de alto padrão, e mais de 10 mil famílias morando em casas eficientes, a Tecverde dá mais este importante passo. A montagem inaugura um novo ciclo para a empresa, que recentemente recebeu investimento internacional para ampliar a sua atuação no país.

“O futuro da construção é o wood frame, que vem para se consolidar junto a outros sistemas construtivos, pois existe uma preocupação com o meio ambiente, com a sustentabilidade e a Tecverde teve todos esses cuidados. A questão da produtividade é fundamental, como é uma tecnologia desenvolvida com a preocupação de assegurar todos os requisitos que a norma de desempenho exige, a tendência é que o uso do wood frame venha a crescer e com isso gerar um custo-benefício maior tanto para o usuário quanto para empresas que venham a fazer o uso desta tecnologia”, completa Maria Salette de Carvalho Weber, Coordenadora Geral do PBQP-H.

Referência: Revista Produtos de Madeira - Edição 56 - Setembro/2020

GUIA IBÁ 2020

A IBÁ (Indústria Brasileira da Árvore) lançou recentemente o seu guia anuário 2020, que consta uma série de números, dados e levantamentos oficiais da floresta e da indústria brasileira, referentes ao ano anterior. A edição 2020 é de suma importância para o setor, uma vez que serve de orientação para que toda a cadeia do desdobramento da madeira possa ter como base. O levantamento da entidade contou com a parceria do IBRE (Instituto Brasileiro de Economia), e da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Mais informações: https://iba.org/datafiles/publicacoes/relatorios/relatorio-iba-2020.pdf
Expediente

Boletim informativo mensal da Associação Brasileira de Preservadores de Madeira (ABPM)

Contato: [email protected]www.abpm.com.br

Jornalista responsável e redação: Fabio Machado

Av. Professor Almeida Prado, 532 | Prédio 11 – Sala 16 | Cidade Universitária – São Paulo (SP) – CEP: 05508-901