Fale com a ABPM (11) 98313-2324

ABPM ONLINE – Boletim Informativo ABPM 710

Nº 710 - DEZEMBRO DE 2020

BENEFÍCIOS DO QUALITRAT

O Selo Qualitrat, nas categorias Ouro, Prata e Bronze foi criado pela ABPM para qualificar ainda mais o setor da madeira tratada. Além disso, o selo pode abrir portas e novos negócios no mercado. A empresa Madtrat, localizada em Santa Cruz do Rio Pardo (SP), foi a empresa pioneira do Estado de São Paulo que adquiriu o Selo Qualitrat. “Sempre tivemos uma repercussão positiva por causa do selo. Em diversas situações fomos avaliados positivamente nos negócios, devido ao Qualitrat. Tivemos compras por parte de órgãos públicos, onde a certificação foi crucial na escolha pela nossa empresa. Isso ocorreu inclusive fora do nosso Estado, em negócios na Região Sul do Brasil. Os requisitos que são necessários para obter o Selo Qualitrat dão informações necessárias para o consumidor fazer a compra segura”, revela Jackson César, diretor da Madtrat.

PRIMEIRO PRÉDIO DO BRASIL COM ESTRUTURA EM MADEIRA ENGENHEIRADA

Localizado na Avenida Faria Lima em Pinheiros, um dos principais centros comerciais e financeiros da cidade de São Paulo, foi construído o primeiro prédio do Brasil com a estrutura em madeira engenheirada. O imóvel conta com uma fábrica conceito para produção de chocolates da marca Dengo, showroom e venda de produtos da marca. A arquitetura concebeu a edificação a partir da sobreposição de volumes em formato de cubos, suprimindo alguns destes elementos à medida que o edifício ganha altura. Isso faz com que a área fabril possua um pé direito triplo, criando uma vista diferenciada para os clientes da loja.

Situado em um terreno de 800 m², o edifício possui área total de 2.200 m² distribuída em 5 pavimentos. Levando em consideração a melhor performance de cada material, foi utilizado o concreto armado para construção da fundação, subsolo, piso térreo, núcleo de elevador e escadas. Acima do nível térreo, protegido do contato com o solo, 3 pavimentos de estrutura em madeira compostos por 1000m² de lajes em CLT bi-apoiadas em pórticos formados por 85m³ de pilares e vigas de MLC, foram montados em 37 dias. Para fechamento o externo da estrutura, a solução adotada combinou o uso de 800m² de light wood frame nas fachadas laterais e no fundo da edificação, com a fachada frontal concebida em caixilho de alumínio e vidro.

Dentre alguns desafios, o principal deles está relacionado à mudança de pensamento de uma obra que deixa de ser moldada in loco e, portanto, construída, para uma obra que passa a ser montada a partir do uso de elementos estruturais pré-fabricados. A mudança não ocorre apenas na estrutura, mas em todos os demais sistemas construtivos que fazem a interface com a madeira massiva.

Outro aspecto importante relacionado à uma obra de pré-fabricados é o projeto de logística. A otimização da estrutura, tanto em termos do uso de um menor volume de madeira quanto na menor quantidade de peças deve estar atrelada aos custos e ao projeto de logística, especialmente pelo fato das placas de CLT terem sido importadas da Áustria por meio de containers. Por fim, por se tratar de uma das primeiras obras em altura na cidade de São Paulo que utiliza madeira como estrutura exposta nos ambientes internos, foi muito importante a realização de reuniões prévias com o Corpo de Bombeiros do Estados de São Paulo para que todos os envolvidos estivessem suficientemente informados e embasados tecnicamente para compreender que as estruturas de madeira, diferentemente do que se pode imaginar em uma primeira análise, possuem um ótimo desempenho em situação de incêndio. Este projeto teve a participação das empresas:

Arquitetura: MFMM
Projeto executivo da estrutura de madeira: STAMADE
Construtora: PEDRA FORTE
Gerenciadora: BRENV
Fornecimento do CLT: AMATA
Fornecimento de MLC: REWOOD
Montagem da estrutura de madeira: REWOOD

Autores: Ana Belizário – Arquiteta
Felipe Icimoto – Engenheiro Industrial Madeireiro
Maurizio Vairo – Engenheiro Civil

LIVE COM GUILHERME STAMATO

No dia 25 de novembro foi realizado a LIVE com Guilherme Stamato aos associados da ABPM. O evento reuniu um bom número de empresários do setor da madeira tratada, onde puderam ouvir o especialista falar sobre as expectativas para o aumento do uso de madeira tratada na construção civil, e o impacto dos novos sistemas construtivos.

“Na palestra, pude apresentar o primeiro prédio construído em madeira na cidade de São Paulo. Essa construção utilizou nos pilares e vigas madeira laminada colada produzida no Brasil, com madeira de pinus tratada também produzida no nosso país. Os pisos e paredes de CLT foram importados da Áustria, de uma empresa que vai produzir em breve aqui no Brasil”, comentou Stamato.

“Apresentei o crescimento e a expectativa da construção de Wood Frame no mercado. Da norma do Wood Frame que em breve será concluída e que vai popularizar esse estilo de construção no nosso país. E com isso, será muito importante salientar a qualidade na produção da madeira tratada, pois com certeza será grande a exigência do mercado da construção”, disse Stamato.

A LIVE ainda tratou sobre o crescimento da madeira no mercado internacional, em países da Europa e Oceania, por exemplo. Os prédios em madeira já é uma realidade no mundo afora. Para finalizar a apresentação, Guilherme Stamato abordou a tendência sobre a construção modular, onde a madeira é protagonista com muitas vantagens sobre outros materiais, como leveza, resistência e facilidade de usinagem.

LIVE DE FIM DE ANO

No dia 15 de dezembro, foi realizada a LIVE de encerramento do ano com toda a diretoria e coordenadores das comissões internas, onde foi feita uma explanação geral sobre todas as ações realizadas pela ABPM em 2020. Essa ações serão detalhadas quando da apresentação aos associados durante a Assembleia Geral que ocorrerá no primeiro quadrimestre de 2021.

O presidente da ABPM, Gonzalo Antonio Caballera Lopez, em nome de todos os diretores, coordenadores, associados e colaboradores do setor da madeira tratada, deseja um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo.

Até 2021…

ATENÇÃO ASSOCIADO

Informamos que o projeto de revisão ABNT NBR 16201 – Cruzetas roliças de eucalipto preservado para redes de distribuição elétrica – Requisitos entrou em Consulta Nacional no dia 04.12.2020 e ficará disponível até 04.01.2021.

https://www.abntonline.com.br/consultanacional/

RECESSO

Informamos que a ABPM estará em recesso do dia 21/12/2020 ao dia 11/01/2021. O retorno das atividades ocorrerá a partir do dia 12/01/2021. Lembramos ainda que as amostras enviadas ao laboratório do IPT após 11/12/2020 serão recebidas somente após 04/01/2021. Quaisquer dúvidas sobre a chegada das amostras e sobre os prazos para retorno dos resultados, pedimos a gentileza de contatar diretamente a Sra. Gisleine Aparecida da Silva, coordenadora técnica da ABPM no telefone (11) 3767-4514.

Quais são as vantagens da madeira na construção de edifícios, quando comparada com o método de alvenaria?

As novas tecnologias de produtos engenheirados de madeira, com peças de grandes dimensões e possibilidade de usinagem com precisão milimétrica permitem a industrialização da estrutura e consequentemente um grande ganho de produtividade na montagem das estruturas. Como os projetos já são feitos por softwares que usam a plataforma BIM, a previsibilidade desse tipo de construção é muito maior que as de sistemas construtivos moldados no canteiro, resultando em assertividade muito maior nos custos e nos prazos.

Do ponto de vista de desempenho, a madeira apresenta propriedades térmicas e acústicas muito boas, por não ser um transmissor térmico ou sonoro. Um ponto muito interessante na construção com grandes elementos de pilares e vigas de MLC e lajes e paredes de CLT está no desempenho em situação de incêndio, que tem se mostrado muito superior ao concreto e ao aço, quando dimensionado adequadamente. Isso se dá devido a um comportamento conhecido da madeira em incêndio, onde a superfície exposta carboniza de forma lenta, mas as regiões internas se mantem com baixas temperaturas e com alta resistência. Por último, um conceito muito valioso que vem sendo estudado é o de biofilia, que trata dos benefícios para o ser humano em ter contato com materiais naturais, como a madeira, em suas edificações. Essas vantagens podem se converter em melhora na saúde e no bem estar dos usuários do edifício.

Quais são as expectativas do setor para o crescimento da madeira engenheirada no Brasil do futuro?

A forma de usar a madeira em estruturas já começou a mudar no Brasil. Já são inúmeros exemplos de estruturas concebidas e executadas com as novas tecnologias, entre elas estão condomínios de prédios de quatro pavimentos montados com painéis pré-fabricados de woodframe, escolas utilizando madeira laminada colada, edifícios de três pavimentos utilizando MLC e CLT, novas indústrias sendo implantadas, novas startup’s sendo criadas com foco na construção de edifícios em madeira, etc. Com esse crescimento da demanda, acredito que haverá uma nova onda de investimento em fabricação de produtos engenheirados de madeira, onde essa demanda poderá direcionar também a silvicultura para que a matéria prima seja conduzida para essa finalidade estrutural. Considerando o rápido crescimento da construção com madeira massiva pelo mundo, criando uma expectativa de demanda por produtos engenheirados nunca visto, estimulando o surgimento de inúmeras fábricas ao redor do planeta, aliado a todo o potencial do Brasil para a produção de madeira, pelo seu clima, sua extensão e pela estágio avançado da silvicultura brasileira, atualmente com foco na produção de celulose, papel e painéis, acredito que o Brasil pode se tornar um dos grandes fornecedores de produtos engenheirados para o mundo nas próximas décadas.

Dentro desse crescimento do setor de madeira nos últimos anos, qual é a importância da qualidade da madeira tratada para o desenvolvimento da cadeia?

O crescimento do uso da madeira em estruturas só está acontecendo devido à aplicação de inúmeras tecnologias para garantir a competitividade, a segurança e a durabilidade das construções. São itens fundamentais para norma de desempenho de edificações para residências (NBR 15.575), segundo a qual uma edificação residencial tem que ter uma vida útil de projeto de 50 anos, independente do material de que ela é feita. Isso torna essencial a qualidade do tratamento da madeira para garantir essa durabilidade. Devemos ressaltar que vivemos em um país de dimensões continentais, com uma enorme biodiversidade e consequentemente uma grande infinidade de espécies de organismos xilófagos, cuja ação é totalmente indesejável para as estruturas de madeira. A publicação da NBR 16.143 em 2013 proporciona um embasamento técnico para a especificação dos tratamentos adequados para cada categoria de uso. Porém, além da norma de especificação, é necessário que todos os procedimentos do tratamento sejam aplicados corretamente para que a madeira esteja efetivamente tratada com a concentração correta dos ingredientes ativos para proporcionar a durabilidade pretendida. Desta forma, a qualidade da madeira tratada é essencial para garantir a confiabilidade do sistema. Somente com qualidade em todos os elos da cadeia é que podemos garantir um crescimento sustentável do uso de sistemas construtivos com madeira engenheirada.

A LIVE DA ABPM SOBRE O PROGRAMA QUALITRAT, QUE OCORREU NO FINAL DO MÊS DE OUTUBRO, AINDA ESTÁ REPERCUTINDO ENTRE OS ASSOCIADOS.

A reunião online contou com as palestras da Celina Almeida do Instituto Totum, que abordou o Programa de Autorregulação do Qualitrat, o qual atesta a qualidade de processos de usinas de preservação de madeira filiadas à ABPM, entre eles os aspectos legais, gestão de qualidade nos processos, gestão ambiental, regularidade social, trabalhista, gestão de saúde e segurança, ética, e responsabilidade social, e da Jota Editora, responsável pela comunicação da ABPM, sobre as possibilidades de marketing para as usinas que já aderiram e vão aderir o Selo Qualitrat, valorizando a marca madeira tratada com investimento em qualidade, credibilidade e visibilidade.

Para o analista da empresa Madtrat, Renato Oliveira Gomes, foi uma live muito interessante com uma linguagem simples, de fácil entendimento. “Achei importante a questão da explicação dos requisitos para a aquisição do programa, pois mostrou que não é tão complicado conseguir a certificação. A divisão dos selos em Ouro, Prata e Bronze abre espaço para empresas novas participarem”, comenta Renato.

Outra associada que participou da live foi a diretora da CM Venturoli, Maíra Venturoli. “Em tempos atuais, essas reuniões online têm sido ferramentas importantes na comunicação. A promovida recentemente pela ABPM sobre o novo formato do Selo Qualitrat foi excelente, foram esclarecidos vários aspectos, dentre eles, as novas categorias: Ouro, Prata e Bronze. Achei muito interessante a apresentação das possibilidades de uso do Selo Qualitrat para o marketing das usinas que já aderiram ao programa. Precisamos explorar essa ferramenta para transmitir ao consumidor credibilidade. Iniciativas como o Selo Qualitrat são muito importantes pois fortalecem, estimulam e incentivam as boas práticas na qualidade de gestão, processos e mercado”, explica Maíra.

Já o Rafael Sandoval Jacintho, diretor executivo da Teca Madeiras Tratadas, ficou bastante entusiasmado com a apresentação e flexibilização do Selo Qualitrat. “É uma autorregulamentação extremamente necessária para o setor. É um desafio que nós temos em colocar parâmetros para os players do setor, que atualmente está totalmente desigual, com uma diferença de preços que variam bastante no mercado, gerando uma falta de credibilidade do consumidor final com os nossos produtos. Com essa nova fase do selo, acredito que vai melhorar bastante, com a participação de um maior número de usinas, com uma maior divulgação ao cliente final. Dessa forma, o mercado comprador vai ter acesso melhor a informação das exigências que uma usina tem que cumprir para ter um produto final com qualidade. A Teca Madeiras Tratadas já começou a organizar a documentação para já aderir ao programa através do Qualitrat Bronze”, completa Rafael.

Expediente

Boletim informativo mensal da Associação Brasileira de Preservadores de Madeira (ABPM)

Presidente: Gonzalo Antonio Carballeira Lopez – IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas)

Diretor Vice-Presidente: Elcio Lacerda Lana – Lonza do Brasil Especialidades Químicas Ltda

Diretor Secretário: Jackson Cesar Correa Alves – Madtrat Madeiras Tratadas

Diretor Tesoureiro: Silvio José de Lima – Montana Química S/A

Coordenadora Técnica: Gisleine Aparecida da Silva – IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas)



Jornalista responsável e redação: Fábio Machado

Contato: info@abpm.com.brwww.abpm.com.br

Av. Professor Almeida Prado, 532 | Prédio 11 – Sala 16 | Cidade Universitária – São Paulo (SP) – CEP: 05508-901